Sindicato de Atletas São Paulo
Institucional

Convidado e amparado pelo PROFUT, Sindicato de Atletas participa de eleição da FPF, mas absterá voto

Presidente Rinaldo Martorelli não concorda com política que a FPF dirigida por Reinaldo Carneiro Bastos adota com a categoria porque não protege a relação de trabalho dos jogadores de futebol

30, AGOSTO 2018 às 14:11:22

Martorelli durante conselho arbitral de 2017 (foto: Rodrigo Corsi - FPF)

O Sindicato de Atletas Profissionais de São Paulo recebeu nesta quarta-feira (29 de agosto) o convite oficial da Federação Paulista de Futebol para a Assembleia Geral Ordinária, que reelegerá Reinaldo Carneiro Bastos, em chapa única, para o quadriênio 2019/2022.

O evento acontece nesta quinta (30), 14h, na sede da entidade, na Barra Funda.

De acordo com o artigo 12 do estatuto da FPF, que segue as exigências do PROFUT, os atletas profissionais têm direito a pelo menos um representante nas eleições. Mais uma vez, o Sindicato de Atletas São Paulo foi convocado.

“Recebemos um documento da Federação Paulista que oficializa o Sindicato como representante dos atletas no colégio eleitoral. Para deixar claro para os atletas, isso não é nenhum benefício e sim uma imposição da lei 13.155 de 2015, a Lei do PROFUT. Atletas têm direito a um representante nas eleições”, explicou Rinaldo Martorelli, presidente do Sindicato de Atletas São Paulo.

Ainda de acordo com o sindicalista, a participação do sindicato será exclusivamente para defender os interesses da categoria.

“Seria ótimo se a postura deles incluísse o respeito aos direitos dos atletas, mas não temos como votar e referendar a atual diretoria. Temos diversas pendências. Por mais que eles venham falando em modernização de gestão, nada foi feito para proteger a relação de trabalho dos atletas. Muito pelo contrário, andamos para trás. Tivemos que entrar com uma ação para exigir que a Federação pedisse os comprovantes de pagamentos dos salários, que é exigido por lei e não estava sendo cumprido. Sem falar o fato de que eles limitaram a idade na Série B (segunda divisão) quebrando um acordo de 12 anos, discriminando atletas acima de 23 anos que ainda são novos para o futebol”, criticou.

Martorelli também aproveitou a oportunidade para esclarecer aos atletas o motivo pelo qual a categoria ainda não tirou do papel a sua convenção coletiva, que determina as regras trabalhistas oficiais de uma determinada profissão.

“Lutamos por anos para que a categoria finalmente tivesse sua convenção coletiva concluída. Quando o Reinaldo era o presidente do Sindbol e da Federação Paulista de futebol simultaneamente, deixamos definida a convenção coletiva, com tudo já acertado. Assim que ele deixou o Sindbol, não honrou o nosso acordo. Politicamente não assumiu o compromisso firmado. Se eu votasse nele, estaria votando contra a categoria”, concluiu.

QUEM VOTA?
A1 - 6 representantes
A2 - 4 representantes
A3 - 3 representantes
Segunda Divisão - 2 representantes
Nova competição - 1 representante
Ligas - 1 representante
Atletas - 1 representante (Sindicato de Atletas SP)

OFÍCIOS
CARTA CONVITE 
EDITAL DE CONVOCAÇÃO 
ARTIGO 12 ESTATUTO



« VOLTAR




Mais sobre Institucional


Últimas do Sindicato


UGT
EDUCATLETA
SOCCER DIGITAL
IBRADESPOR
DIREITO EC
Expressão Paulista
FutBrindes