NOTÍCIAS

NULL

Turibio Leite: AINDA BEM QUE TEMOS TENDINITES


POR TURIBIO LEITE DE BARROS
Clique e leia a matéria no site do autor

O título pode parecer um absurdo, mas podemos explicar. O quadro frequente de inflamação dos tendões que ocorre até com certa frequência em praticantes de atividades físicas, certamente representa um problema que ninguém gosta de ter e que quando ocorre precisa ser tratado.

A tendinite associada à pratica de atividades físicas é sempre um sinal que indica uma certa imprudência cometida.É o quadro típico do que podemos chamar de lesão por esforços repetitivos.

Quando um movimento é repetido exageradamente, ultrapassando um limite de tolerância das estruturas do aparelho locomotor, geralmente os tendões sofrem e acabam se inflamando, gerando o quadro doloroso das tendinites. Isto pode acontecer em inúmeras situações, muitas delas inclusive associadas a atividades laborais não relacionadas com a prática de nenhuma atividade esportiva.


No esporte são comuns as tendinites nos joelhos dos corredores, no cotovelo dos tenistas, no ombro dos jogadores de voleibol, na sínfise púbica dos jogadores de futebol e muitas outras.
Entretanto, onde está a razão que justifica o título do artigo?

Na verdade vamos entender a tendinite como um mecanismo de proteção. Se o tendão não doesse, o exagero iria continuar. Até aonde poderia chegar?

Muitas vezes a dor da tendinite não é valorizada e ocorrem lesões mais sérias do aparelho locomotor como fraturas por estresse, lesões de cartilagem das articulações, e até mesmo podemos imaginar que o próprio coração poderia ser acometido de um problema decorrente do exagero de exercício se não fosse “protegido” pelo aparelho locomotor.


Portanto, quando aparece aquela dorzinha que se repete durante ou logo após uma atividade física, que requer uma aplicação de gelo ou até mesmo um anti-inflamatório, absolutamente não se deve relevar.
A primeira constatação é que existe alguma coisa errada ou um exagero sendo cometido. A conduta correta é primeiro tratar a dor, mas logo em seguida procurar um profissional para fazer o diagnóstico da causa, que na maioria das vezes é o exagero na intensidade ou na duração de uma atividade.

Esta tendinite está na verdade protegendo o aparecimento de um problema mais grave. É um sinal que além de ser tratado, deve ser respeitado e valorizado !

Podemos até dizer: Ainda bem que ela aparece!

Dr Turibio Barros
Mestre e doutor em fisiologia do exercício pela EPM. Foi membro do ACSM, professor da UNIFESP (35 anos), coord. do Curso de Especialização em Medicina Esportiva da UNIFESP (20 anos), fisiologista do SPFC (25anos) e coord. do Depto de Fisiologia do E.C. Pinheiros.

Foi colunista do JT (5 anos) e publicou mais de 100 artigos científicos em revistas nacionais e internacionais do segmento esportivo. Publicou 7 livros, entre eles "O Exercício – aspectos especiais e preventivos", pelo qual ganhou o Prêmio Jabuti de Literatura Científica.

Sua experiência de mais de 35 anos na área da fisiologia do exercício é voltada principalmente para atividade física, esportes, consumo de O2, aptidão e avaliação física, qualidade de vida e orientação à atletas, não atletas e iniciantes. É consultor do Sindicato de Atletas de São Paulo.

 

Compartilhar:

+ NOTÍCIAS

Jurídico

post---assembleia-ata-e-video

Assembleia: ATA e vídeo disponíveis

Institucional

POST---COLUNA-MARTORELLI-RS

Tragédia no Sul e o futebol: paralisação é a solução?

Institucional

POST---ASSEMBLEIA-MAIO-2024-2

EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA – 15/05