NOTÍCIAS

Institucional

Manipulação de Resultados vira tema central de debate em Conselho Técnico da A3

Sindicato mais uma vez se apresenta como ferramenta de solução

Após participar dos arbitrais das Séries A4 e A2, Rinaldo Martorelli voltou a representar a categoria, desta vez no Conselho Técnico da Série A3.

É no Conselho Técnico que algumas questões do regulamento (aquelas que são passíveis de votação) são definidas. Momento também para outras manifestações que sejam pertinentes ao encontro dos representantes dos clubes, atletas e treinadores.

Os clubes se mostraram bastante preocupados com as frequentes abordagens de aliciadores para que os jogadores manipulem os resultados das partidas.

PALESTRAS E ORIENTAÇÃO
A Série A3 tem forte presença sindical dentro dos vestiários. Os dirigentes dos clubes ressaltaram o trabalho do Sindicato de Atletas SP, que ministra palestras educativas aos atletas, mas seguem assustados com o aumento de casos.

Há relatos de jogador apostando pelo próprio celular no intervalo do jogo.

“Fica evidente que esses jogadores não tiveram oportunidade de assistir à palestra ministrada pelo Diretor de Relacionamento Mauro Costa. Se assim fosse saberiam quais atitudes caracterizam a manipulação e que qualquer membro do time está proibido de apostar, porque as consequências são gravíssimas, seja para sua profissão, seja para sua vida pessoal”, alertou Martorelli.

Quanto a isso, o presidente ainda expôs duas questões.

A primeira se refere à Ludopatia (compulsão pelo jogo), comportamento que consiste em jogar e apostar sucessiva e descontroladamente, que vem assolando os jogadores na Europa e também está chegando no Brasil.

É importante considerar que chegou na Europa antes porque lá as apostas esportivas se tornaram comum muito antes do que aqui no nosso país. Essa é uma questão que merece muita atenção dos clubes quanto aos sinais, as mudanças de comportamentos que podem ocorrer.

A segunda propôs e deixou à disposição dos clubes a possibilidade de elaboração de um regulamento interno de comportamento, a ser homologado no Sindicato de Atletas SP e Justiça do Trabalho, seguindo todos os procedimentos legais, principalmente no que diz respeito aos esclarecimentos para os atletas profissionais, de normas que possam coibir o uso de celulares em ambientes que possam ser utilizados para a efetivação das apostas esportivas.

“O que estamos querendo fazer é proteger o atleta dele mesmo, porque ao evitar que ele use o celular para cometer esse crime, porque na legislação penal essa ação já está assim caracterizada, e seja banido do futebol, estaremos preservando seu trabalho, sua dignidade e sua vida. Precisamos trabalhar duro para extirpar esse problema do futebol e para isso temos que ser inteligentes e corajosos. O mundo tem sofrido as transformações de forma avassaladora e não podemos esperar o pior acontecer, temos que sair na frente”, sugeriu.

Na mesma reunião, os presidentes Rinaldo Martorelli e Reinaldo Carneiro Bastos deram detalhes sobre premiação da Seleção do Campeonato, que valoriza ainda mais a competição porque é composta com os votos, rodada a rodada, dos próprios atletas que participam das partidas.

FOTO: RODRIGO CORSI/FPF

Compartilhar:

+ NOTÍCIAS

Jurídico

nota-oficial

Sindicato de Atletas SP entra com representação contra John Textor no STJD

WhatsApp Image 2024-03-22 at 14.10.07

Martorelli vai a Brasília e defende regularização do Futebol Feminino no Ministério do Trabalho

image-71-1536x1023

Sindicato palestra para o elenco da base do Treze FC sobre manipulação de resultados